ATENÇÃO: Esta é uma página gerada automaticamente com base na sua pesquisa. Este site não disponibiliza links para downloads ilegais ou piratas.

nbr 9050

5 ajustes para facilitar acessibilidade do iPhone
5 ajustes para facilitar acessibilidade do iPhone

5 ajustes para facilitar acessibilidade do iPhone

“Todos podem utilizar um smartphone, por isso precisamos acabar com o mito de que eles não podem ser usados por pessoas mais velhas”, alerta.

Entenda como a Lei da Acessibilidade garante o direito de ir e vir

Entenda como a Lei da Acessibilidade garante o direito de ir e vir

E foi pensando justamente nesses locais que empresas estão oferecendo uma maneira de adequar a acessibilidade ao projeto estrutural do prédio ou condomínio, ou seja, toda a fachada é preservada e a nova modificação é customizada de acordo com o gosto do cliente, na prática ela não tem nenhum impacto na construção, apenas promove a acessibilidade para aqueles que possuem algum problema de locomoção. Uma das mais procuradas é a Engelift que já participou de grandes projetos, tantos em fachadas residenciais quanto em comerciais.

Baixe grátis o conjunto de soluções para surdos

Baixe grátis o conjunto de soluções para surdos

A Suíte VLibras consiste em um conjunto de ferramentas computacionais de código aberto. As soluções contribuem para reduzir as barreiras de comunicação e promovem o acesso de pessoas surdas aos conteúdos em computadores, dispositivos móveis e plataformas web em sua língua natural de comunicação.

Conheça o guia do Ministério do Turismo para atender bem turistas com deficiência

Conheça o guia do Ministério do Turismo para atender bem turistas com deficiência

A cartilha voltada para o atendimento de turistas com deficiência ou mobilidade reduzida ressalta que a acessibilidade é um direito universal que garante a melhoria da qualidade de vida das pessoas, permitindo uma maior autonomia não apenas para pessoas com deficiência, mas para pessoas com mobilidade reduzida, como grávidas e pessoas idosas.

Acessibilidade em praias atrai turistas com deficiência para Pernambuco

Acessibilidade em praias atrai turistas com deficiência para Pernambuco

A capital pernambucana se orgulha de ter o primeiro turismólogo com Sìndrome de Down do Brasil. Bruno Ribeiro é consultor da Empetur e também está comprometido com o programa de acessibilidade que vem sendo desenvolvido no estado. “Sou um exemplo de superação”, comemora. Além das praias, outros atrativos já se adaptaram para receber os diferentes públicos. Na Praça do Arsenal, no centro histórico, o Paço do Frevo - ícone da cultura pernambucana - foi adaptado para cadeirantes assim como o Marco Zero e o Mercado de Artesanato.

Conheça o blog da Acessibilidade

Conheça o blog da Acessibilidade

Este é um blog criado para fins de estudo sobre acessibilidade e inclusão social, nosso objetivo é entender a melhor forma se se melhoras os espaços físicos e digitais de forma que possam atender a um maior número de pessoas.

O mercado de turismo está se preocupando com a acessibilidade e isso é lindo

O mercado de turismo está se preocupando com a acessibilidade e isso é lindo

“A acessibilidade tem sido uma preocupação constante do Ministério do Turismo. Acredito que estamos no caminho certo e o nosso planejamento para os próximos anos terá a acessibilidade como premissa, mas precisamos trabalhar juntos com empresários, parceiros e trade para alcançar o objetivo final de garantir que o turismo esteja ao alcance de todos”, afirmou o ministro interino do Turismo, Alberto Alves.

João, Sabrina e Maristela nunca viajaram de avião. Além desse traço em comum, eles são pessoas com deficiência. João, 14 anos, perdeu os movimentos da perna em função de uma doença degenerativa; Sabrina, 17 anos, é deficiente auditiva e Maristela, 49 anos, perdeu a visão há quatro anos. No dia 15 de setembro, eles embarcaram, a convite do Ministério do Turismo, para uma viagem inesquecível registrada em um vídeo para a sensibilização da importância da acessibilidade no turismo. O filme foi apresentado nesta terça-feira (27), na cerimônia comemorativa do Dia Mundial do Turismo. A ação do MTur está alinhada ao tema definido pela Organização Mundial do Turismo (OMT) para a data especial este ano: Turismo para todos – promover a acessibilidade universal. Cada personagem foi levado a um destino com atrativos acessíveis: Bonito (MS), Socorro (SP) e Porto de Galinhas (PE). O gran finale aconteceu no Rio de Janeiro, onde todos se encontraram para participar de eventos paralímpicos e passear pela cidade. “A acessibilidade tem sido uma preocupação constante do Ministério do Turismo. Acredito que estamos no caminho certo e o nosso planejamento para os próximos anos terá a acessibilidade como premissa, mas precisamos trabalhar juntos com empresários, parceiros e trade para alcançar o objetivo final de garantir que o turismo esteja ao alcance de todos”, afirmou o ministro interino do Turismo, Alberto Alves. O diretor executivo da OMT, Márcio Favilla, relembrou o sucesso da paralimpíada no Brasil e elogiou as ações que vêm sendo desenvolvidas pelo Ministério do Turismo. “O ministério vem realizando um trabalho essencial para garantir que o turismo acessível aconteça. Somente quem encontra as barreiras físicas e do preconceito no dia a dia sabe o que é necessário para superar e vencer os obstáculos, mas posso afirmar que o nosso setor está contribuindo de maneira muito significativa para essa luta”, garantiu. OS VIAJANTES - Sabrina Marques, estudante do ensino médio, viveu a emoção de viajar pela primeira vez de avião até ser apresentada aos encantos de Bonito (MS), como flutuar no Rio Sucuri e conhecer Gruta do Lago Azul. “Andar de avião foi uma sensação estranha, não sabia se era frio na barriga ou bolinhas tipo cócegas. Estava andando nas nuvens”, relembra animada. Em Socorro (SP), os hotéis fazenda Campo do Sonhos e Parque dos Sonhos, premiados por suas ações de acessibilidade, ofereceram a Maristela Batista atividades de pura adrenalina. Tirolesa, rafting, arvorismo e passeio a cavalo a iniciaram no turismo de aventura acessível. “Andar a cavalo me emocionou muito, senti uma sensação de liberdade que não sentia desde que perdi a visão”, diz Maristela que viajou acompanhada do marido, Adalberto, também deficiente visual. Aos 14 anos, o caçula do projeto, João Paulo, cadeirante, pôde viajar de avião e ver o mar pela primeira vez. Em Porto do Galinhas, experimentou a sensação de entrar na água, amparado pelo pai, também marujo de primeira viagem, e pela estrutura do projeto Praia sem barreiras. O projeto é uma iniciativa do governo de Pernambuco, premiada como boa prática pelo Ministério do Turismo. “Foi melhor do que eu esperava, balança menos que o ônibus de Brazlândia”, comentou João ao desembarcar em Recife, numa alusão ao transporte que utiliza regularmente em Brasília. O projeto prosseguiu no Rio de Janeiro, onde os convidados desembarcaram às vésperas do encerramento dos Jogos Paralímpicos. Na programação, banho de mar na Barra da Tijuca com o projeto Praias para Todos; passeio no bondinho do Pão de Açúcar; competição de atletismo no Engenhão e cerimônia de despedida dos jogos no Maracanã. Nesta terça, os três personagens estiveram reunidos em Brasília para participar da cerimônia do Dia Mundial do Turismo realizado na sede do MTur, em Brasília. Além do ministro interino do Turismo, Alberto Alves, participaram também o diretor executivo da OMT, Márcio Favilla; a Secretária Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Ministério da Justiça, Rosinha da Adefal; o secretário de Turismo do Distrito Federal e vice-presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur), Jaime Recena; e a atleta Paralímpica do Tiro com Arco, Jane Karla.